quarta-feira, maio 28, 2008

A escolha possível...

Como militante social-democrata que me orgulho de ser tenho assistido com atenção à campanha interna que se tem vindo a desenrolar para as eleições à liderança do PSD. As dúvidas têm sido maiores que as convicções e, pela primeira vez desde que sou militante (já lá vão 14 anos), não sei, com certezas, qual o rumo que o partido deverá seguir.
Santana Lopes preconiza a candidatura das rupturas e das quezílias, não só por culpa própria (o erro de ter pegado no Governo de Durão foi gravíssimo), mas sobretudo pelo ódio que muitos dos históricos do partido nutrem por esta figura de grande carisma do PPD-PSD. Ferreira Leite apresenta-se como a imagem do imobilismo e do politicamente correcto, para além de que tem a enorme desvantagem de não incentivar ao rejuvenescimento do partido (haver a possibilidade de alguém com mais de 70 anos estar à frente do partido é demasiado frustrante). Passos Coelho é, como se costuma dizer em bom português, um autêntico tiro no escuro, demasiado conotado com os muitos oportunistas do partido que veem neste jovem político, uma possibilidade de utilizarem a sua imagem cordata e limpa para facilmente manietarem o partido a seu belo prazer.
As dúvidas são mais que muitas e só tenho pena que Marcelo não tenha avançado nesta oportunuidade que, para ele, teria sido de ouro. Sendo assim, e depois de muito reflectir, tomei a decisão de, no próximo sábado, ir votar em Santana Lopes. Apesar de saber que uma possível vitória de Santana iria quase revolucionar o partido, afastando de vez muitos daqueles que por ele têm um ódio de estimação, também penso que é legítimo que Santana tenha a possibilidade de ir a votos com Sócrates. Nas últimas legislativas, Sócrates ganhou enganando muitos milhares de portugueses. Muitos daqueles que ora votam PS, ora votam PSD, sentem-se defraudados com o governo PS. Pode ser que agora votem em Santana e lhe deem a oportunidade de provar que, ao contrário de Sócrates, tem sensilidade social.
Ferreira Leite apresenta uma clara imagem de regresso ao passado. Parece, descupem a analogia, um Sócrates de saias.
Passos Coelho é demasiado liberal para o meu gosto. Talvez daqui a uns anos possa ser uma boa alternativa. Por enquanto, não me inspira confiança.
Santana Lopes é o eterno lutador que não vira as costas ao partido, nem ao país. Não tem interesses instalados, nem segue o politicamente correcto.
Enfim, em jeito de resumo diria que Santana Lopes foi enganado por Sampaio. O povo foi enganado por Sócrates. Pode ser que Santana não seja enganado pelos militantes do PSD. A ver vamos...

3 comentários:

Orlando disse...

Santana Lopes vai perder Vs Sócrates, e MFL poderia ganhar. O que é importante é tirar esse trafulha e aldrabão do poleiro. É tempo dos militantes do PSD se identificarem com o povo, com aconteceu nos anos 80.

Rui disse...

Infelizmente os meus piores receios parecem ter-se concretizado. Ainda não entendi de onde vem a alguns militantes social-democratas, esta vontade de "endusar" figuras femininas e ver nelas uma aura de firmeza. Já o faziam com Leonor Beleza.
Em todo o caso os votos foram lançados. Temo que por um lado venhamos a ter algum cavaquismo recauchutado e por outro, que nada mude na esfera de exercício do poder.
Um Abraço:
Rui V.

Anónimo disse...

Os ppd's revelam a sua demência.