quinta-feira, julho 05, 2012

Viseu: a cidade com melhor qualidade de vida

Num estudo realizado pela DECO, a cidade de Viseu foi considerada como a melhor para se viver em Portugal. Obteve bons resultados ao nível da mobilidade e transportes, planeamento e gestão municipal, habitação, saúde, educação, ambiente, comércio e serviços e paisagem urbana.
Muitos foram aqueles que vieram criticar o estudo, considerando-o demasiado subjetivo por dar muito destaque às percepções e opiniões dos residentes de cada uma das cidades que foram estudadas. Mas, qual o problema de questionar as pessoas sobre se gostam de viver na sua cidade? E o porquê de gostarem ou não?
O certo é que, cada vez mais me convenço que vale a pena viver numa cidade média como Viseu. Uma cidade da região Centro, a meio caminho entre Aveiro e Espanha e entre Vila Real e Coimbra, a pouco mais de uma hora da cidade de Porto e a duas horas e meia de Lisboa, próxima da praia e da montanha, onde se respira tranquilidade, mas onde não faltam espaços de lazer, de cultura e de desporto.
Não é fácil combater o despovoamento do Interior e evitar os fenómenos de litoralização e de bipolarização que afectam a distribuição da população em Portugal, mas são cidades como Viseu, Covilhã e outras do Interior que ainda vão contrariando a macrocefalia que "reina" em Portugal.
Não se pode obrigar as pessoas que vivem no litoral a virem para o interior, nem se podem enviar pessoas para as aldeias para evitar o êxodo rural. Mas, com uma reorganização administrativa coerente do país e com uma correcta gestão municipal, assente no planeamento e em investimentos sustentáveis, pode-se alcançar um maior equilíbrio entre o litoral e o interior e entre o campo e as cidades, com destaque para as de média dimensão. A cidade de Viseu, alheia a investimentos megalómanos ou a despesas inúteis, tem sabido proporcionar à sua população uma qualidade de vida invejável...
video

4 comentários:

Anónimo disse...

E isso que interessa?

Não era você que estava a favor da destruição das aldeias e vilas do interior através da reorganização autarquica proposta pelo (des)governo actual?!!!?

Pois, será das outras, porque dessa aldeia a que chamaram «bijéu» é que não pode ser nada!!!!

Fantástico como as pessoas são coerentes com aquilo que lhes convém!

E então...

... a selecção já veio para casa...

... não se fala por aqui das mxxxas que o (des)governo tem vindo a fazer? do nuno crasso e as suas medidas muito dúbias para a educação? etc, etc, ect............???!!!

Ah!

Claro!

É a tal coerância de que falei algumas linhas acima que o impede!

Boas férias, é aquilo que lhe desejo após a conclusão efectiva deste anús lectivo, porque para o ano, a continuar neste caminho, veremos se temos emprego! Eu também pertenço ao quadro e começo a ver que isso já não importa!!!

Um abraço

Intimista disse...

Caro anónimo, não fugindo à sua questão, como bem sabe penso que este governo tem vindo a tentar corrigir as asneiras que os últimos governos pós-Cavaco (13 anos de PS 3 anos de PSD) cometeram, com destaque para as PPP´s guterristas e socráticas.
A dívida pública passou de 60% do PIB em 1995 para quase o dobro em 2012. E com isto, quase acabámos na bancarrota, caso não fosse pedida ajuda externa.
Conclusão: perdemos a autonomia financeira e agora estamos à mercê da "troika". Passos Coelho apenas tenta cumprir o memorando assinado pelo PS.
Quanto a Nuno Crato, as funções dele são basicamente duas: aumentar a exigência na escola e diminuir os custos com a educação ("troika" obligé...)
Umas boas férias também para si. E, já que é professor, boa sorte para os concursos...

PS - nunca defendi a destruição das aldeias e vilas do interior; apenas digo que com a melhoria das distâncias-tempo, urge reorganizar administrativamente o país...

Maria disse...

De facto a melhor cidade para se viver é Viseu e convido a quem não a conhece que venha visitá-la, pois só conhecendo em todos os aspetos se pode criticar...
Reina por aí muita inveja...
Bom trabalho!

Anónimo disse...

Cara Maria,

não se trata de inveja, acontece é que eu fico com os cabelos em pé sempre que alguém se recusa a ver além dos seus interesses.
Temos o país que temos, é verdade, mas apesar de todas as suas regiões, é o mesmo país, a pátria aquém e além mar que jurei defender (perante o Estandarte Nacional, onde se encontra inscrita imortal legenda de Camões "ESTA E A DITOSA PÁTRIA MINHA AMADA") mesmo com o sacrífício da própria vida.

É apenas isso... A minha Pátria

Um abraço