sexta-feira, agosto 03, 2007

Férias, para que te quero...

Em pleno mês de Agosto e com a entrada em força do Verão quente e seco (por enquanto, ainda sem grandes incêndios) é tempo para, finalmente, descansar um pouco e recuperar forças para mais um ano lectivo que se avizinha. Ah, e claro, é também tempo de fazer balanços...
O país, como de costume neste mês de Agosto, está a banhos e os noticiários do dia-a-dia têm sido ocupados com as banalidades do costume: casos de polícia e histórias das pré-temporadas dos principais clubes de futebol. O país político está morno, quase a esfriar (apesar das directas no PSD) e a generalidade dos portugueses apenas parece estar preocupada em ir para a praia apanhar escaldões ou, no caso dos nossos emigrantes, encherem as terras do nosso Interior dos costumes habituais para esta época do ano: festas e bailaricos, aprumados com um português-afrancesado bacoco e muito barulho dos tubos de escape de carros de alta cilindrada.
Por mim, tenho vindo a aproveitar estes dias para gozo de umas férias repartidas aos "bocadinhos" entre a praia (Figueira da Foz) e a serra (Covilhã), ao mesmo tempo que preparo a defesa da tese de mestrado (será em Setembro). Agora que a família está prestes a ter mais um elemento não há lugar para grandes aventuras como as de há uns anos atrás: velhos tempos em que percorríamos o país dos festivais de Verão, sobretudo a Norte, em Vilar de Mouros e Paredes de Coura.
Umas boas férias, se for esse o caso, é o que vos desejo!!!

5 comentários:

Paulo Sempre disse...

Boas férias!!!

Anónimo disse...

Boas Ferias

Anónimo disse...

Olá Pedro
Pois é, ser pai tem outras responsbilidades, e qualquer dia mais outro rebento, o trabalho aumenta. Mas tudo se resolve com boa harmonia.
Ontem foi muito bom estar com vocês, a Dianinha está o máximo.
Beijinhos da Maria

Anónimo disse...

Pedrito,
Vim ao teu cantinho, entenda-se bloog, com a secreta e íntima esperança de encontrar alguma notícia da nossa amiga Maria de Lurdes Rodrigues e do seu fiel amo Valter Lemos (ou será ao contrário), mas para desilusão minha, encontro uma notícia das férias... há que saudades!
Um abraço.
PS Qualquer injustiça nos concursos de docentes é pura ficção e qualquer justiça pura coincidência... Por favor não escrevas (ou penses) acerca dos concursos, olha que até as paredes mais secretas tem ouvidos mais íntimos.

AnaCristina disse...

Mesmo que atrasada, venho desejar-te boa sorte na defesa da tese.
Um abraço