quarta-feira, março 12, 2008

De mal a pior...

A imagem ao lado representa, na minha humilde opinião, quatro das actuais desgraças do país!
Por estes dias, quase que tenho vergonha de ser benfiquista, de ser professor, de ser social-democrata e de viver num país (des)governado por um partido que se diz socialista.
Sou do Benfica não por qualquer motivo de cariz racional, mas sim pelo facto do meu pai, quando eu era de tenra idade, me ter levado ao velhinho e saudoso Estádio da Luz num Marselha-Benfica com mais de 120000 adeptos befiquistas. Foram grandes as alegrias que vivi naquele estádio. Por estes dias, vejo uma equipa moribunda e completamente desastrosa... Até o treinador teve de fugir de tanta impotência... É verdade que os últimos dez anos do Benfica têm sido de uma fraqueza desesperante, mas já era tempo do actual Presidente de Benfica mudar de vida...
Sou professor de Geografia por convicção. Fui para o ensino, não por exclusão de partes, mas sim porque sempre foi esse o meu desejo. Fortemente influenciado por um professor que me deu aulas de Geografia no Liceu da Covilhã (sim, o mesmo liceu onde estudou o actual Primeiro-Ministro), enveredei pelo caminho da Educação. Quando comecei a leccionar (já lá vão dez anos) a fasquia da exigência andava cá por cima. Agora, quase que é proibido ser-se exigente com os alunos, sendo que os tempos que se avizinham não auguram nada de bom...
Sou filiado no PSD, desde os tempos dos Governos de Cavaco Silva. Foi no tempo das chamadas "vacas gordas". O país crescia e melhorava em todos os índices de desenvolvimento. O PSD era, no final dos anos 80, o partido de referência da democracia portuguesa. Credibilidade era muito mais do que uma mera palavra. Agora é o que se vê: um PSD dividido, descrente e sem rumo. Com um líder sem chama. Um partido que, tal como está, não surge como alternativa à maioria socialista. Para mal do país...
Finalmente, vivo num país desenvolvido. No entanto, está na cauda dos 27 da UE. Bate recordes ao nível das desigualdades sociais, do insucesso escolar, da fuga ao fisco, da sinistralidade rodoviária, das filas de espera na saúde, da lentidão da justiça. Um país governado por um partido que comemora três anos de Governo como se o auto-elogio exacerbado fosse um normal exercício de democraticidade, quando o país não avança e se prevêem tempos (ainda) mais difíceis... Com um Primeiro-Ministro cuja licenciatura foi o que se soube!!!
Resta-me a felicidade de ter uma esposa e dois filhos maravilhosos. De resto, sinto-me completamente na mó de baixo!

4 comentários:

Fernanda disse...

Ainda estou a ver o teu quarto com os posters dos jogadores famosos da época...
Aluno exemplar, exigente de ti mesmo, com "ordem e disciplina".
PSD uma referência na nossa familia, já do tempo do teu avô. Aqueles comicíos repletos de união e muita alegria.
SIM tens uma familía maravilhosa e no final é o mais IMPORTANTE.

Um grande beijo.

António M.Ribeiro disse...

Amigo, leio o seu blogue quase todos os dias e sinto-me sintonizado consigo. Tenho 75 anos e desde os seis que sou benfiquista; vivi, como é óbvio, todos os tempos de glória dessa impar e magnífica Instituição, alma dum Povo romântico, simples e generoso, mas um Povo ingénuo e crédulo. Ao fim de todos estes anos da minha vida nunca vi nada igual e concluo com o negrume na alma que o Benfica morreu com o seu Povo. Nâo sou filiado em nenhum partido mas no meu pensamento e ideias estive sempre muito próximo do PSD, porque sou um homem que nunca fui na cantiga dos valores da "esquerdalha" que tudo corrompe e desfaz. Vivi noutros tempos que, embora (falsamente) nos queiram impingir que foram maus - e foram - havia, contudo, honra e dignidade, apesar de tudo. Na família que me formou, na escola que me educou e nas leis que me ensinaram a respeitar. Para chegar a isto? Que me resta neste fim de vida? Apenas destruição de tudo em que acreditei. Percebo que o meu amigo é novo e ainda poderá assistir a algum ressurgimento desta Terra. Comungo do seu ideal que foi (e é) muito semelhante ao meu. Também tive dois filhos maravilhosos e ainda o são e tenho quatro netos magníficos já quase formados. Nasci em Monção, moro em Arcos de Valdevez há mais de cinquenta anos e conheço muito bem a sua terra, Viseu, que já visitei inúmeras vezes, comi e dormi e quase todos os anos lá vou. Peço-lhe desculpa do meu arrazoado, mas não me pude calar nem em relação ao meu País, nem ao meu Benfica eterno. Por isso... quem não está na mó de baixo? Apenas os chico-espertos, os marginais e os corruptos. Felicidades para a sua vida e família.

IsaMar disse...

Oi..ao ler o teu texto fiquei comovida e sem palavras...Dá que pensar...
Apenas quero só dizer que tens uma grande Familia Unida. Parabéns !!

Beijinhos a todos
Isabel

Anónimo disse...

Amigo Pedro,

Nem tudo é mau, e já se está a trabalhar em algumas soluções. Ora vejamos, a primeira consequência da manifestação dos 100 000 professores do dia 8 de Março, foi ... o pedido de demissão do António Camacho! É compreensivel, se como dizem existem muitos milhões de benfiquistas, proporcionalmente, na manifestão eles estariam indubitavelmente em maioria. Pelo menos, o António Camacho teve a dignidade e a seriedade de um grande Homem (algo que a Sra. Ministra, Secretários e Subsecretários de Estado da Educação e Primeiro Ministro e outros não tem)vendo que algo não estava bem no Benfica, e porque também ele gosta do Benfica e quer o bem dessa grande instituição portuguesa, pediu para sair para dar lugar a outros que possam almejar melhores resultados.
Infelizmente o Ensino não é nem nunca será visto como a Saúde, onde quando temos um problema temos mesmo que o resolver sobre pena de nos ausentarmos para o Éden. O Ensino, esse pode esperar... o que não se aprender hoje, pode-se aprender amanhã ou talvez nunca. As consequência só se sentirão nas próximas gerações, e não há nenhum político actual que esteja preocupado com isso. Nessa altura estará a gozar a reforma e... connosco, como hoje em dia.
Não sendo Social Democrata, gostaria que este partido pudesse ser uma alternativa credível ao actual Governo, mas pelo andar da carruagem "as guerras fraticidas internas" retiram-lhe toda a credibilidade. A mudança de cor e grafismo no logotipo é o menor dos problemas...
Um abraço, meu Amigo.