terça-feira, março 25, 2008

Desilusões (parte II)

No artigo anterior escrevi sobre uma das minhas maiores desilusões: o actual estado da educação em Portugal. Vou-me reportar agora a outra das minhas grandes desilusões: o Benfica.
Como sabemos ser-se do Benfica, do Sporting ou do Porto não depende de uma decisão tomada em plena consciência. Se assim fosse, mudaríamos facilmente de clube, de acordo com o sucesso momentâneo de cada um. É pois claro que ficamos reféns do clube que adoptámos em criança, quer tenha sido por influência do pai ou do avô, quer tenha sido por afinidades diversas ou por qualquer outra razão supérflua. A verdade é que esta é uma decisão puramente emotiva e nada (ou quase nada) racional.
O meu caso particular é interessante de contar. Quando comecei a perceber mais a sério o que era o futebol (por volta dos meus 5 anos) afimava-me sportinguista, muito por influência do meu avô, que era fanático pelo Sporting da Covilhã (filial do SCP). Para grande desgosto do meu pai, ferveroso benfiquista, comecei a fazer colecção de objectos do SCP. O meu pai começou a ver o tempo escassear, até que se decidiu a levar-me da Covilhã a Lisboa assistir a um jogo do Benfica, caso eu mudasse do SCP para o SLB. Essa era a última hipótese para me ver mudar de clube ainda a tempo: "Ninguém muda de clube em idade adulta", dizia-me ele... Então fui com o meu pai assistir ao Benfica-Steaua de Bucareste (2-0) ao velhinho Estádio da Luz e fiquei encantado com a grandeza do Benfica. Nessa mesma noite decidi mudar de clube: de mero e ingénuo adepto sportinguista passei a ser um fanático sócio do Benfica. A partir dos meus onze anos de idade e ao longo destes quase vinte anos que passaram, fui ver dezenas de jogos do Benfica. Muitas alegrias foram vividas; algumas tristezas também.
No entanto, o ainda curto século XXI tem sido terrível para os benfiquistas que se prezam de ter orgulho no seu clube. Depois da contratação de Artur Jorge (um ex-portista) para treinador do clube, a lógica da desmontagem e montagem de uma nova equipa de futebol no início de cada época desportiva impediu que a mística benfiquista se apoderasse da maioria dos jogadores. Agora, é a lógica do dinheiro que domina a equipa de futebol. Faltam o carisma, a garra e o orgulho... O presidente bem tenta copiar Pinto da Costa, mas falta-lhe qualquer coisa: talvezs genuinidade.
O Benfica de agora em nada se compara com o de há vinte anos atrás. Todos os quinze dias deslocavam-se dezenas de autocarros de todo o país a Lisboa para que milhares de pessoas pudessem assistir aos jogos do Glorioso. Fui em muitas dessas excursões de domingo. As quartas-feiras europeias eram arrepiantes, com o Inferno da Luz. Os jogadores tinham na sua grande maioria classe e suavam a camisola. Agora é o que vê: uma miséria fransciscana, com um presidente desorientado e com o "entra e sai" constante de treinadores e jogadores. Deixei de ser sócio e, por vezes, nem sequer me dou ao trabalho de ver os jogos do Benfica na televisão.
Entretanto, aguarda-se que alguém com credibilidade tome conta do clube. Até lá, o Benfica até poderá ter lucro nas suas contas, mas em termos desportivos é o que se vê. Saudosos anos 80 em que o Benfica dominava no futebol, basquetebol, andebol, voleibol, hoquéi em patins, entre outras modalidades...

5 comentários:

Luisa disse...

Desde que me conheço que sempre fui benfiquista mas vá çá saber-se porquê, eu que nunca fui a um jogo de futebola sério...Tenho pena que este clube esteja agora tão em baixo. Eu acho que a culpa não é dos dirigentes nem dos treinadores mas dos jogadres que são uns autênticos cepos.

IsaMar disse...

"Muda-se os tempos muda-se as vontades"...
Tudo muda na vida, tudo modifica-se com o tempo. Umas para melhor e outras para pior.
No Futebol o mais importante para quem o organiza é o dinheiro.
Já lá foi o tempo em que os jogadores honravam a sua camisola e tudo era diferente. Havia mais Valor na concretização, de fazer bem, de ser alguém!
Quando era adolescente ou com menos idade ainda simpatizava com o F.C.Porto. Agora não me desperta, nenhum clube me chama a atenção. Apenas gosto de ver na Televisão a Selecção Portuguesa.Embora, a selecção parece depender muito do "bailinho" de Cristiano Ronaldo. Digo isto, porque no último jogo a selecção não teve um bm resultado e pelo que se comenta na Tv a Selecção tem perdido Brio.
Lamento esta situação.
Outra coisa que não concordo no futebol, são os valores exagerados que se oferece aos jogadores. Mas como já referi, é tudo um negócio!
Fica bem.

contradicoes disse...

Meu caro amigo. Os jogadores do Benfica como os do Sporting são de alguma forma o espelho da produtividade deste país, embora reconheça que no caso dos jogadores não há razão nenhuma que justifique a sua não produção porque ganham até demais para o esforço que fazem e os de outras actividades invoquem como razão para produzirem pouco o facto de serem mal remunerados.

AnaCristina disse...

Atrevo-me a dizer que já devias estar preparado... o Benfica é uma desilusão!
Como sportinguista, aviso já que o processo de habituação é doloroso... mas a gente habitua-se! :D
Abração

Anónimo disse...

aconselho os lampiões a ver o canal história