segunda-feira, junho 23, 2008

Lembram-se? Uma vergonha!

Ficámos hoje a saber que o líder da oposição do Zimbábue viu-se obrigado a desistir da segunda volta das eleições daquele país africano para assim evitar que se multipliquem os "banhos de sangue" que nos últimos tempos têm sido de frequência diária...
A UE pouco diz sobre o assunto e a ONU está submersa num silêncio vergonhoso... Assistimos apenas a pedidos e mais pedidos!!! Com ditadores não se pede nada; exige-se... Há menos de um ano José Sócrates não se coibiu de dar palmadinhas nas costas do ditador zimbabueno que veio a Portugal passar uns dias de férias à custa de uma pseudo-cimeira UE-África. A UE não teve a capacidade e a elevação de se furtar ao "politicamente correcto". Sério e rigoroso teria sido levar a cabo uma verdadeira política de fomento da paz e da democratização do continente africano, quer fosse através do fortalecimento dos poderes do Tribunal Penal Internacional, quer fosse através de uma política de persuação de possíveis aliados africanos...

5 comentários:

Shakti disse...

Concordo plenamente contigo...é uma vergonha!!

E as entidades internacionais que deveriam fazer qualquer coisa resignam-se ao silêncio ....Assim vai o mundo...infelizmente não é só em Portugal !!!

Paulo Sempre disse...

Estranho é o silêncio do Povo português. Num Estado de Direito Democrático, é o Povo que detem o poder. Aqueles a quem o Povo tornou fieis depositários do poder, têm que agir de boa-fé. Se assim não agirem o Povo têm toda a legitimidade para exigir «avocar» a si esse mesmo Poder. Mas...afinal...onde esta o legitimo «proprietário» do poder? Que povo é este que povo....
Abraço
Paulo

PS: Obrigado pela visita.

daniel jorge tecelão disse...

Vergonha é o seu despudor atávico rançoso, pacóvio e ranhoso de aproveitamento partidário da situação.
Acaso quer que lhe refira quantos ditadores o seu partido lambeu o rabo?
E é você porfessor!!!!

Fénix disse...

E assim se lava a roupa suja...
Pedro, as informações que colocas neste post parecem de facto ir ao encontro a uma tendencia argumentativa de ataque. Sem pores em evidencia os dois lados da questão que desenvolves estas a desarmar e não te podes defender do que pessoas como o daniel te podem dizer... À parte de não estar por dentro dessa situação, talvez tenhas razão: o silêncio não nos permite a nós, povo, suposto detentor do poder (que não é pois somos contratualistas), saber o que aos outros não lhes convem.

Pedro disse...

Cara Fénix, claro que me posso defender dos ataques estéreis de pessoas como o Tecelão. São os mais fáceis de serem contraditados!!!
Há quem queira abafar a memória dos actos dos nossos governantes. Claro que todos eles têm "calcanhares de Aquiles". Mas, não é por Cavaco Silva ou Durão Barroso terem, no passado, apertado a mão a ditadores que se pode abafar a vergonha que foi há apenas seis meses, quando se sabia que Mugabe se estava a preparar para continuar a ofensiva ditatorial no Zimbábue, termos visto Sócrates receber Mugabe e ostentar um sorriso para as objectivas das máquinas fotográficas.
O Tecelão tenta defender Sócrates com o argumento velho do "vai com as outras"...
Em liberdade critica-se quando há que criticar e agora é tempo de o fazer. O Tecelão bem sabe que aqui mesmo já critiquei muitas das posições do partido a que pertenço. Uma consciência saudável a isso obriga...