quarta-feira, setembro 10, 2008

O sucesso escolar do Governo Sócrates

Argumento de José Sócrates, Maria de Lurdes Rodrigues e Valter Lemos para estes dados estatísticos: "Mais tempo de aplicação no trabalho e no estudo é o que permite melhorar".
A verdade é que, actualmente, a legislação vigente, com destaque para a catadupa de circulares que todos os dias chegam às escolas emanadas do Minsitério da Educação, quase que impede um Conselho de Turma de reter um aluno que não esteja em final de ciclo. Por outro lado, um aluno que tenha já uma retenção no seu historial escolar tem quase "porta aberta" para progredir de ano, tal é a quantidade de papéis, reuniões e burocracias que têm de se efectivar para reter esse aluno. Ah, e não nos esqueçamos da realidade dos CEF`,s, dos PIEF`s, dos cursos profissionais e das Novas Oportunidades!!! O facilitismo é tanto que só um aluno verdadeiramente "hiper-baldas" é que não consegue concluir este tipo de cursos.
Enfim, tenho pena daqueles que acreditam no que a máquina de propaganda deste Governo vai debitando para a opinião pública acerca deste suposto sucesso escolar. E, tenho pena dos professores, alguns colegas meus, que já desistiram de elevar a fasquia da exigência. No meu dia-a-dia de professor, a palavra que mais tenho ouvido nestes últimos anos é a prova de como a realidade é mais que sombria: "desilusão". Com a avaliação do desempenho docente, a tendência será para este suposto sucesso escolar aumentar. Não porque os alunos saibam mais, mas porque muitos professores já se deixaram levar pela onda do facilitismo. Infelizmente...

4 comentários:

Shakti disse...

O nosso governo quer fazer desta educação uma mera estatística...apenas e somente isso ...infelizmente !!!

bjs

Fénix disse...

Que ninguém me crucifique com isto...
Eu fiz o secundário mas decidi refazê-lo pois tive alguns problemas familiares que me fizeram estar sempre à margem entre o não saber nada e o muito pouco do que tinha estudado. Estou a acabar agora um curso profissional de química em que me orgulho de ser aluno de vintes. Mas sei que não o seria se os professores pudessem elevar um pouco mais a fasquia. A verdade é que tenho que ser eu a pôr-me à prova pois nós até testes com consulta temos. Os meus colegas, com tantas facilidades, não têm boas notas e neste momento só eu e outras duas colegas (em 18) é que poderíamos ir para estágio, sendo que só eu poderia concluir o curso, pois não tenho nada em atraso. Alem disso também já tenho colegas que estariam chumbados se não fossem os professores lhes "sumirem" discretamente com as faltas em excesso.
Há falta de profissionais, licenciados e técnicos e a facilitação não vai ajudar!
Aliás, facilitação até certo ponto... Sabias que um aluno de um curso profissional não pode ser trabalhador estudante?? Onde já se viu isto!!!!???? É cortar as pernas a todos os que se querem formar mas são independentes pois segundo me informei a legislação não permite um trabalhador frequentar um curso profissional.
Mais uma coisa: terás muito tema de conversa em breve (dia 15), com a abertura do novo pólo tecnológico no alto de sto amaro. Segundo sei a ministra da educação vai inaugura-lo com o sr primeiro ministro. Sabias que a nossa escola vai começar lá as aulas dia 15 e ainda nem temos pavilhão de educação física, nem os laboratórios montados. E pensar que temos projectos de fim de curso para realizar nos laboratórios!!!

daniel tecelao disse...

Governo algum jamais fez pelo ensino o que este tem feito,naturalmente que os verdadeiros resultados só se verão daqui a algum tempo.
Mas você tem dois problemas;
É do PPD e é professor,não ajuda nada a enxergar o que de positivo se tem feito!!!

Anónimo disse...

É verdade!
Só daqui a alguns anos!
Sempre quero ver é quem vai querer dar emprego a este bando de nulidades que, com as várias políticas dos consecutivos governos, por aí andam saindo da escola!

Apoiem os professores e exijam qualidade eficaz e selectiva ao ensino, só assim se pode aspirar a um ensino de qualidade