quinta-feira, novembro 10, 2005

A diferença entre ser-se discreto ou provocatório...

Nos últimos dias foi notícia em alguns jornais (não sei se passou nas televisões) o caso de duas alunas de uma escola secundária de Vila Nova de Gaia que se queixaram de terem sido humilhadas e discriminadas pelo facto de se assumirem como lésbicas. Esta situação desencadeou-se depois das referidas alunas terem sido, segundo as mesmas, provocadas e insultadas por uma funcionária da escola por irem de mãos dadas, já depois de terem sido, por diversas "apanhadas" a darem beijos nos corredores da escola. Segundo as alunas, também a Vice-Presidente do Conselho Executivo actuou de forma errada, tendo-as apelidado de "lésbicas" e afirmado que da escola para fora poderiam ter os comportamentos que bem entendessem. Por parte da escola ficou-se a saber que estas são duas alunas problemáticas, que faltam muito e cujo aproveitamento escolar é negativo...
Pois bem, enquanto professor, mais do que fazer juízos de valores ou criticar uma das partes e "absolver" a outra, penso que será importante que as escolas reflictam muito bem sobre este tipo de situações, incorporando nos seus Regulamentos Internos o que fazer em casos análogos. Se bem que seja diferente, muitas escolas já prevêem o que fazer no caso dos alunos serem "apanhados" a fumar ou na posse de objectos contundentes. Mas, não seria melhor estipular a proibição de determinados comportamentos e atitudes entre alunos que possam sugerir condutas de cariz provocatório para com a comunidade educativa em geral? Atente-se que há escolas onde convivem alunos com idades compreendidas entre os 11 e os 20 anos... Independentemente dos namoros serem entre heterossexuais ou homossexuais, um estabelecimento escolar é um local onde a reserva, o ser-se discreto e a boa conduta devem prevalecer. Na escola onde lecciono já passei por casais de namorados que fazem questão de dar nas vistas em poses que tendem, no mínimo, a incomodar quem passa ao lado... Porque não proibir gestos e atitudes que de discreto não têm nada? Não me falem em coarctar a liberdade pessoal e individual das pessoas. Como se costuma dizer, a liberdade de cada um acaba quando a do outro é posta em causa... Apenas se trata de impor limites a certos comportamentos que tendem a perturbar o normal desenrolar das actividades educativas...
Quanto a juízos de valor, apenas direi que quem parece ter-se aproveitado deste caso para fazer um pouco mais de politiquice foi, como não poderia deixar de ser, o Bloco de Esquerda. Sempre é algum tempo de antena que se consegue ter, não é?
Já agora, depois de o Presidente da CONFAP (Confederação das Associações de Pais) ter afirmado que "é inaceitável pensar que é com regulamentos ou com falsos moralismos que se vai probir seja o que for", não será melhor lembrar ao senhor Albino Almeida que tem sido a aplicação, nos Regulamentos Internos das escolas, da proibição de fumar em recinto escolar a forma mais acertada e com melhores resultados no sentido dos alunos deixarem de fumar nas escolas? Na escola onde lecciono tem sido...

13 comentários:

Rui disse...

Não podia estar mais de acordo consigo.
Cumprimentos
Rui

Patricia disse...

Concordo na criação de normas que proibam determinados comportamentos nas escolas que possam prejudicar o bem estar das pessoas que dela fazem parte. Os alunos devem consciencializar-se de que estão numa escola para aprender e não para se exibirem com determinados comportamentos menos próprios. A prática destes deve ser realizada, se assim o pretenderem, noutro local, fora do recinto escolar.
Bjs

Diesel disse...

Peixoto,
No essencial concordo contigo, mas no caso em apreço tenho de dizer o seguinte: ouvi falar neste caso (não vi a noticia) e a 1.ª coisa que me lembrei foi do presidente do conselho directivo da minha escola secúndária (nos saudosos anos 80) que era um autêntico nazi. Não permitia qualquer comportamento mais expansivo e cultivava um temor à sua pessoa que lhe dava um gosto especial. É que, infelizmente, também existem professores destes.

Silvia F. disse...

Olá Pedro,

Obrigada pelo teu comentário, pela tua simpatia. Concordo contigo, a partida este mundo dos blogs parece-me muito mais interessante.
Deixa-me dizer que quem está de parabéns és tu, o eu blog é simplesmente fantástico. Vou passar a ser uma assídua leitora das tuas postagens! Os temas abordados são pertinentes e muito actuais. Desconhecia este assunto das lésbicas mas de facto concordo contigo. Deveriam existir regras que proibissem atitudes menos próprias num local supostamente educativo. Liberdade sim mas com disciplina!!

Beijos,
Silvia

Paula disse...

querido Pedro,
estou sem cabeça para comentar o blog, pois estou com uma forte exnaqueca, vou ja de seguida pra cama.
Manda-me o teu mail para te poder adicionar ocmo membro do meu blog. Segui o teu bom conselhoe limitei os comentarios para evitar dar lugar a psicopatas que o comentavam...
Um beijinho par ti, migo.
fico a aguardar.
Paulafelix@sapo.pt

contradicoes disse...

A disciplina seja ela em que estabelecimento de ensino fôr, básico, secundário ou universitário, não tem necessáriamente que exceder os limites
do que está internamente regulamentado sob pena de o conselho directivo ou a reitoria estar a exorbitar nas suas competências.

Anónimo disse...

O idiota homofóbico, convenientemente protegido pelo politicamente correcto, com a mania de que a proibição é uma boa solução para os problemas (apesar da história da humanidade apontar exactamente para o contrário), volta a atacar.

Nunca aprendes, pois não?

Marco disse...

Agora vamos proibir manifestações de carinho, afecto ou amor? Desculpe mas não podia discordar mais com o seu post.

AnaCristina disse...

Lamento discordar que se regulamentem abraços e beijos... Lamento discordar que as miudas em causa não se devam abraçar e beijar como fazem os colegas heterossexuais...
Lamento discordar que estes acontecimentos e disciplina nada tem a ver uma coisa com a outra...

Falso moralismo e boa conduta não podem ser impostos, tem que ser ensinados!

Euzinho disse...

Na sequencia do Black-Out imposto pela GATIXA à minha pessoa, foi criado o blog IdeiasKruzadas.blogspot.com com o fito de contrapôr o ror de enormidades lá ditas....

Cumprimentos.

Euzinho

(pssttt!!! Aposto que vás lá passar ainda que o negando como Judas.....rsrssr........)

Raquel disse...

A orientação sexual a liberdade sexual e regida por cada um, tratando-se assim de como cada um sente, orienta e vive a sua vida interior, podendo escolher com quem tira mais prazer na sua sexualidade, e neste sentido, não deverá ser punida. Contudo, a LIBERDADE de expressar o que se sente, seja por uma pessoa do mesmo sexo ou não, deverá ter alguns limites, principalmente quando as manifestações são demasiado evidentes em locais cujos os comportamentos devem ser comedidos, como no caso aqui apresentado.

Pato Marreco disse...

Completamente de acordo contigo.
O que se passa nas escolas é mesmo um escândalo.
O ministério e muitos Conselhos Directivos perante as atitudes provocatórias de umas boas dúzias de alunos, acobardam-se com medo de serem chamados de botas de elástico.
As TVs também têm muita culpa no que sepassa.
E quando uma criança a parece grávida aos 13 - 14 anos lá vêm eles, hipocritamente, falar sobre moralidade.
Hipócritas

Anónimo disse...

Cool blog, interesting information... Keep it UP hotel saunas Ionamin diet pill online cheap laptops gay sauna melbourne fosamax and evista comparison