domingo, novembro 27, 2005

Polémicas sem sentido...

Algumas das afirmações constantes num novo documento aprovado pelo Papa Bento XVI a 31 de Agosto de 2005 e que foi dado a conhecer na passada semana foram recebidas com alguma revolta e admiração por uma parte significativa da sociedade, católicos incluídos.

Ora bem, esta polémica deveu-se à seguinte afirmação: "a Igreja não poderá admitir no seminário e nas ordens sagradas aqueles que praticam a homossexualidade, apresentam tendências homossexuais enraizadas ou apoiam o que se chama a cultura gay'". Será que há alguma novidade nesta ideia defendida pelo Papa Bento XVI? Não me parece...

Pode-se criticar a oportunidade da declaração ou até mesmo o teor clarificador e frontal que a mesma incorpora. Há quem diga que, ao omitir-se a posição da Igreja relativamente aos heterossexuais, estamos na presença de um "ataque" aos gays. Mas, convém não esquecer que a Igreja tem como base da sua acção a família, pelo que não pode aceitar que alguém homossexual proclame, "eucaristicamente", a defesa da família, dita, tradicional: pai, mãe e filho(a)s...

Bem sei que recorrendo a estudos das áreas da medicina, da biologia ou da psicologia não fará muito sentido afirmar que a homossexualidade é uma "desordem", como consta da declaração. Mas, a esfera em que a Igreja Católica se move é outra: é a da defesa e promoção de um estilo de vida que vise princípios basilares como a família e a descendência. Ora, a promoção da cultura gay não enquadra nestes postulados, pelo que é normal que para abençoar um casamento ou um baptizado não se possa ser homossexual...

Afinal, porquê tanto frenesim? A mania da vitimização por parte dos gays ou a incapacidade da Igreja Católica para melhor comunicar com uma sociedade cada vez mais parca na defesa de valores e princípios? Talvez as duas razões sejam verdadeiras!!!

6 comentários:

Anónimo disse...

Só podias ser de Viseu.

A. Vale disse...

Olá, anónimo! O Peixoto não é de Viseu, é simplesmente um adventício.

daniel tecelão disse...

como saber se um padre é bicha?

Pedro disse...

Pena que o poder argumentativo não seja desenvolvido por aqueles que têm uma opinião contrária à veiculada neste blogue...

Mendonça disse...

Bem...
O que me parece é que a Igreja ainda não percebeu que tem de adaptar-se aos nossos dias. O mundo mudou e o vaticano parou no tempo. O que eu não entendo é qual é a novidade, de facto. Um padre não pode ser homosexual, mas será que pode ser heterosexual? Também não. Não pode casar, não pode ter relações sexuais, não pode nada de "humano". Isto é ridículo, e é desta igreja que cada dia que passa mais me afasto. Já não me diz nada esta instituição hipócrita que, valha-nos isso, mantém a sua accção social quase brilhante, em muitos casos. Este PAPA tem de perceber muita coisa, mas com a idade que tem é difícil, e foi por isso mesmo que foi escolhido. Que triste!

Willespie disse...

Subscrevo integralmente as palavras do Mendonça.