terça-feira, julho 01, 2008

A multiplicação dos pobres...

Vivo em Viseu há apenas cinco anos, os mesmos que levo de casado. Neste período de tempo, a vivência nesta cidade média do Interior, permitiu-me compreender até que ponto a pobreza urbana, até agora característica das principais cidades do litoral (nomeadamente Lisboa e Porto) se propagou um pouco por todo o país, qual praga nacional do século XXI...
Nos últimos tempos, os sinais da carência porque passam muitas pessoas deste país (contam-se nas estatísticas 2 milhões de pobres em Portugal) começaram a ser mais evidentes, fazendo lembrar as paisagens urbanas de mendicidade de muitas das avenidas de Lisboa quando por lá estudei há uma década atrás.
Passei a minha adolescência na Covilhã e nunca por lá vi um mendigo na rua a pedir esmola. Quanto muito, apareciam alguns ciganos vindos das aldeias em redor a tocar à campainha de casa para pedir alimentos e roupas. Depois, com 18 anos, fui estudar para Lisboa e não havia dia que não passasse por algum mendigo, fosse no metro, à entrada dos shoppings ou nas artérias mais importantes da cidade. Em 2003 fixei-me em Viseu e raramente via alguém na rua a pedir (quanto muito à terça-feira, dia da feira semanal, lá apareciam ciganos a pedir na Rua Direita). Mas, de há uns meses a esta parte a mendicidade parece não abrandar e, cada vez que me desloco para o centro de Viseu, é raro o dia em que não encontro pessoas idosas sentadas no chão a pedir dinheiro para comer, romenos com bebés ao colo a suplicar esmola junto aos semáforos, crianças com cães "amestrados" a pedir dinheiro aos transeuntes, enfim, episódios intermináveis de pobreza... E, volto a lembrar, numa cidade do Interior do nosso país...
Hoje resolvi levar a máquina fotográfica para o Rossio e não faltaram oportunidades para registar a prova de como aquilo que digo é verdade...

7 comentários:

Fernanda disse...

A foto é bem expressiva... é triste... dá que pensar...

Um abraço

Shakti disse...

E sabes o mais caricato...é que os nossos governantes dizem que está tudo bem , que a população portuguesa anda feliz , não anda descontente...o Portugal deles deve ser bem diferente do nosso...infelizmente !!

Bjs

espectivas disse...

Isto está muito complicado. Vê o que eu tenho à minha porta.

José de Oliveira Povinho disse...

É tudo isto que me enche de tristeza...
O estado não tem dinheiro para nada, mas...
- tem dinheiro para 10 mamarachos a que apelidam de estádios de futebol;
- tem dinheiro para um TGV, que com as dimensões do nosso país não se sabe muito bem para que serve;
- tem dinheiro para um aeroporto que ainda não se sabe muito onde vai ficar (talvez ainda andem a negociar os valores das milionárias expropriações entre eles!), nem para que serve exactamente;
- tem dinheiro para todos os devaneios desses tartufos que acodem por... políticos;
- tem dinheiro para indivíduos como o antigo admninistrador da ERSE, que se demitiu e se encontra em casa com o módico ordenado de 12000euros/mês;

.....

É ou não escandaloso?

Para o que realmente interessa com a saúde, a educação e a segurança... não há dinheiro!!!!

E para quem precisa, como na imagem, .... também não!!!!

País miuserável este!

contradicoes disse...

Infelizmente tudo aponta para que esta realidade se acentue pois as expectativas de crescimento do país e a melhoria de condições de vida da população tende a piorar.

IsaMar disse...

Olá.
Essa situação também acontece cá, na Ilha da Madeira. Cada vez mais observa-se essa situação.
A situação económica do País em que se encontra origina a Pobreza.
Muitas Familias com falta de dinheiro, de trabalho e especialmente de formação optam pelos assaltos, agressoes,etc...
Infelizmente acontece em todo o País e Ilhas.

cumprimentos a todos

Anónimo disse...

Estou mais preocupado com os pobres de espirito.