quinta-feira, maio 13, 2004

A força do "diz que disse"...

Ontem fui ao cinema ver o filme "Os Friedman", um documentário verídico feito a partir de diversos testemunhos e de vários vídeos caseiros de uma família americana que se vê envolvida num pretenso caso de pedofilia que vai abalar por completo o relacionamento entre os diversos membros da família (o pai, a mãe e os seus três filhos). Este é um excelente documentário que permite ao espectador reflectir sobre o poder que um simples boato pode ter na vida de cada um de nós. Mais do provar a inocência ou culpa dos acusados de abusos sexuais de menores (o pai e o seu filho Jesse), o realizador tenta despertar-nos para o perigo que uma simples acusação judicial pode ter na vida de uma pessoa e da sua família.
Num tempo em que, por cá, tanto se fala do caso Casa Pia e em que o comum do cidadão português tende a ter como que uma opinião já formada acerca da culpa dos acusados, "Os Friedman" é o exemplo claro de como uma acusação é, quase sempre, tida como sinónimo de culpa. O documentário tem outros motivos de interesse relacionados com o facto de os vídeos caseiros prestarem um ar dramático (mas sem ser falso) a uma história que realmente aconteceu. O espectador facilmente se vê como que envolvido nas discussões familiares dos Friedman...
Para quem ainda não viu o filme e ainda o pode fazer, aqui deixo o meu conselho de o visionar com "olhos de ver"...

1 comentário:

Anónimo disse...

Excellent, love it! »